COMBATE AO MOSQUITO - Preocupação para 2017, Chikungunya já foi registrada em mais da metade dos municípios do país

Com quadro que pode evoluir para artrite crônica, a Chikungunya realmente devasta a saúde das vítimas. O relato do psicólogo mineiro Luiz Henrique Abreu, de Belo Horizonte, é forte. Ele pensou que iria morrer de tanta dor.

A estimativa do avanço da Chikungunya é preocupante, pois os dados globais e mais atuais do Ministério da Saúde mostram que já foram registrados casos suspeitos da doença em mais da metade dos municípios brasileiros (2,7 mil).

Até dezembro do ano passado, foram 265.554 casos dessa febre – o que representa uma taxa de incidência de 129,9 casos para cada 100 mil habitantes e um aumento de 594% em relação ao mesmo período de 2015 (38.240) registros.

E para impulsionar secretários e equipes de saúde locais a reforçar as ações de prevenção e controle ao mosquito transmissor da Chikungunya, Zika e Dengue, o governo obrigou municípios com até 2 mil imóveis a realizar o LIRAa, que é uma ferramenta criada para identificar os locais com focos do mosquito nas localidades.

A obrigatoriedade da realização do levantamento é uma proposta do ministro Ricardo Barros e foi acordada com estados e municípios, em reunião realizada recentemente.

Mas a batalha contra o mosquito transmissor da Chikungunya, Zika e Dengue não deve ser restrita apenas à esfera governamental: a atuação da população, dentro de casa e na vizinhança, é fundamental. Os mutirões são bastante eficazes.